Skip to main content

APCD Unidade de Amparo

APCD unidade Amparo, é uma das 88 unidades regionais da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, que é uma associação, sem fins lucrativos, que tem mais de 40 mil afiliados.

APCD Amparo: Sobre a Regional

A APCD Amparo funciona de segunda-feira das 09:00 às 17:30, terça-feira das 14:00 às 22:00, quarta-feira das 09:00 às 17:30, quinta-feira das 14:00 às 22:00 e sexta-feira das 09:00 às 17:30. As unidades podem ter horários diferenciados, portanto é importante entrar em contato antes do comparecimento.

Confira a seguir as informações de contato da Regional APCD Amparo

Endereço: Rua Benjamin Constant, 375 – Centro – CEP 13900-160 – Amparo/ SP

Telefone: (19) 3807-9626

E-mail: apcdamparo@gmail.com

Macrorregião: 3

Diretoria da APCD APCD Unidade de Amparo

Mateus Terribeli MarchiPresidente
Mauricio Cândido Ribeiro1º Vice-presidente
Mario Marcos Borges Ferla2º Vice-presidente
Roberto Urban LimaSecretário-geral
Marcelo José Marchi GuilardiTesoureiro-geral

Como Chegar na APCD Unidade de Amparo

Endereço: Rua Benjamin Constant, 375 – Centro – CEP 13900-160 – Amparo/ SP

Conheça um pouco sobre e APCD

Criada em 1911, no centro de São Paulo, a Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, que tem mais de 40 mil afiliados. Localizada hoje no bairro de Santana, na zona norte da cidade, é representada em todo o estados por suas 88 Regionais.

A ACPD tem o comprometimento de sempre ser uma voz ativa na luta por um Odontologia melhor e mais justa. E a cada dia a Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas reafirma seu papel de entidade comprometida com os interesses da classe odontológica, com o fortalecimento da Odontologia paulista e brasileira.

Benefícios para o Associado

A APCD disponibiliza diversos benefícios para os seus associados como:

  • Auxílio para os profissionais quanto à empregabilidade;
  • CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo;
  • Eventos científicos e congressos;
  • Clube de benefícios;
  • Seguro de Perda de Renda;
  • Bilheteria.com;
  • Turismo;
  • Planos de Saúde.

APCD Unidade de Americana

APCD unidade Americana, é uma das 88 unidades regionais da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, que é uma associação, sem fins lucrativos, que tem mais de 40 mil afiliados.

APCD Americana: Sobre a Regional

A APCD Americana funciona de segunda-feira das 09:00 às 17:30, terça-feira das 14:00 às 22:00, quarta-feira das 09:00 às 17:30, quinta-feira das 14:00 às 22:00 e sexta-feira das 09:00 às 17:30. As unidades podem ter horários diferenciados, portanto é importante entrar em contato antes do comparecimento.

Confira a seguir as informações de contato da Regional APCD Americana

Endereço: Rua Sete de Setembro, 95, Centro – 13465-320 – Americana – SP

Telefone: (19) 3406-5086

Fax: (19) 3405-2346

Contato: Rose

Site: www.apcdamericana.org.br

Macrorregião: 3

Diretoria da APCD APCD Unidade de Americana

Mauro de Queiroz TellesPresidente
Rafael Muller Vidote1º Vice-presidente
José Antonio Campana2º Vice-presidente
João Carlos WandericoSecretário-geral
Ernesto Frederico Quenzer NettoTesoureiro-geral

Como Chegar na APCD Unidade de Americana

Endereço: Rua Sete de Setembro, 95, Centro – 13465-320 – Americana – SP

Conheça um pouco sobre e APCD

Criada em 1911, no centro de São Paulo, a Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, que tem mais de 40 mil afiliados. Localizada hoje no bairro de Santana, na zona norte da cidade, é representada em todo o estados por suas 88 Regionais.

A ACPD tem o comprometimento de sempre ser uma voz ativa na luta por um Odontologia melhor e mais justa. E a cada dia a Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas reafirma seu papel de entidade comprometida com os interesses da classe odontológica, com o fortalecimento da Odontologia paulista e brasileira.

Benefícios para o Associado

A APCD disponibiliza diversos benefícios para os seus associados como:

  • Auxílio para os profissionais quanto à empregabilidade;
  • CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo;
  • Eventos científicos e congressos;
  • Clube de benefícios;
  • Seguro de Perda de Renda;
  • Bilheteria.com;
  • Turismo;
  • Planos de Saúde.

Covid-19 – Recomendação de prevenção para Cirurgiões-Dentistas

Até o momento, o Brasil registrou 9 casos do novo coronavírus. O relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado em 2 de março, mostra que o Covid-19 está presente em 64 países e a taxa de letalidade é de 3,4%.

Em 5 de março, o Ministério da Saúde atualizou os dados sobre o coronavírus. Segundo o balanço divulgado até as 13h, o número de casos suspeitos no Brasil caiu para 11. Outros 21 casos já foram descartados.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, novos países serão incluídos na lista para definir suspeitos de coronavírus, entre eles os Estados Unidos. A lista de 16 países subiu para 27. Acredita-se que nos próximos dias, aumente muito o número de casos suspeitos no Brasil já que os Estados Unidos é um país bastante visitado por brasileiros. 

O Covid-19 propaga-se via gotículas respiratórias, contato direto com secreções infetadas e aerossóis em alguns procedimentos terapêuticos que os produzem (por exemplo as nebulizações), bem como nas consultas odontológicas. Por isso, os seguintes cuidados são recomendados aos profissionais de Odontologia:

  • Usar a máscara N95 ou, em caso de continuar usando a máscara habitual, trocá-la a cada duas horas para evitar a perda de eficácia;
  • Reforçar o uso de jaleco, luvas e óculo de proteção (recomenda-se desinfetar e higigienizá-lo a cada procedimento);
  • Lavar cuidadosamente as mãos antes e depois de tratar os pacientes;
  • Após cada consulta, limpar e desinfetar imediatamente todas as superfícies e ambiente de trabalho;
  • Ter precauções redobradas no manuseio de modelos e moldes, assegurando a sua efetiva desinfecção;
  • Seguir rigorosamente todos os procedimentos universais de esterilização e desinfecção;
  • Evitar os cumprimentos com beijos ou aperto de mão na consulta.
  • Procurar manter todas as superfícies do consultório permanentemente limpas e desinfetadas devido ao fato que o vírus pode ser transportado pelos aerossóis e consegue sobreviver nessas superfícies por mais de nove dias.

Links úteis:

Informe da Sociedade Brasileira de Infectologia sobre o novo Coronavírus – perguntas e respostas para profissionais da saúde e para o público em geral:

https://drive.google.com/file/d/1alqe7VUWgUOyrS8kwvmKL7OCDuvJsXcx/view

Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus Covid-19 https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/fevereiro/13/plano-contingencia-coronavirus-COVID19.pdf

Além do Protocolo de Manejo Clínico para o Corona Vírus: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/fevereiro/11/protocolo-manejo-coronavirus.pdf

Os profissionais de saúde também devem consultar o Boletim Epidemiológico 03, no tópico Medidas de prevenção e controle para atendimento de casos suspeitos ou confirmados: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2020/fevereiro/21/2020-02-21-Boletim-Epidemiologico03.pdf

Lei nº 14.466, de 08/06/2011 – Proíbe o uso, por profissionais da área da saúde, de equipamentos de proteção individual fora do ambiente de trabalho https://www.al.sp.gov.br/norma/?tipo=Lei&numero=14466&ano=2011

NR 32 – Segurança e Saúde no trabalho em serviços de saúde http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR32.pdf

Medidas preventivas

Como medida preventiva adicional, é importante ressaltar que, antes de iniciar a consulta, deve-se evitar atender pacientes suspeitos de serem portadores do vírus. Salienta-se que a definição de caso suspeito relativo ao Covid-19, nesta data, resulta da conjugação de critérios clínicos e epidemiológicos, devendo ser considerada suspeita:

– Qualquer pessoa que tenha viajado para alguma das áreas afetadas, 14 dias antes do início dos sintomas;

– Qualquer pessoa que, nos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sintomas, tenha estado em contato próximo com um caso provável ou confirmado;

– Qualquer pessoa com sintomas clínicos compatíveis com uma infecção respiratória, com febre, tosse, dispneia ou mal-estar.

A APCD continuará publicando matérias com atualizações sobre o Covid-19 com intenção de informar a classe odontológica sobre as medidas de prevenção. Para saber mais, leia aqui: Coronavírus: o que é importante destacar (hiperlink para http://www.apcd.org.br/index.php/noticias/1530/em-foco/27-02-2020/coronavirus-o-que-e-importante-destacar)

Fonte: Ministério da Saúde, EBC e OMD

Fonte: http://www.apcd.org.br/index.php/noticias/1532/covid-19/04-03-2020/covid-19-recomendacao-de-prevencao-para-cirurgioes-dentistas

APCD Nos Dias de Hoje, sua função e missão

A Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas é um grupo de classe, sem nenhum fim lucrativo que, nos dias de hoje, ocupa o lugar de destaque no cenário da Odontologia mundial. Com 108 anos de traição, a APCD está em todo o Estado de São Paulo, por meio de suas 88 Regionais, somando mais de 40 mil associados. A entidade que nasceu modesta, mas ambiciosa, no centro da Capital, em 1911, hoje tem uma entidade no bairro de Santana, zona norte, com mais de 19.000 m² de área construída e nela oferece o que tem de melhor para os associados em termos de serviço e beneficio.

O aperfeiçoamento profissional e cientifico sempre foi um dos maiores objetivos do grupo. Não é atoa que tinha um dos maiores congressos do mundo, o Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo – CIOSP, feito pela Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas, há mais de 60 anos, e vários congressos de especialidades. Fora as atividades associativas e científicas, também promove eventos culturais, esportivos, assistenciais , sociais e de lazer.

Suas ambições e Destaques

A APCD tem destaque pela atuação nos vários âmbitos governamentais – municipal, estadual e federal – em beneficio de uma saúde oral mais justa e indiscriminada a toda população brasileira. É um grupo extremamente engajada na luta pela valorização da Odontologia e pela melhoria da saúde oral, com parcerias em programas e campanhas, estaduais, municipais e federais na procura de beneficio da saúde oral e de um atendimento melhor para á população, como o Programa Brasil Sorridente, estreado em 2004 pelo governo federal e pelo Ministério da Saúde, que tem como prioridade a saúde bocal do povo brasileiro.

Se ressalta também a atuação sempre presente e eficaz da APCD em projetos do governo, como a assinatura de contratos de fluoretação das águas de diversos municípios de São Paulo; a interposição de encontros entre governantes para a habilitação do Estado e o Município como Gestores Plenos do Sistema Único de Saúde (SUS); anuência de espaço para o encontro entre os secretários de Estado da Saúde de São Paulo que discutiu o SUS e melhorias na assistência á população, prevenção de doenças; com posição firmes contra projetos de lei que interrompem ou prejudicam o exercício da profissão.

Classificados APCD

Classificados APCD

A APCD tem em seu site uma área exclusiva chamada Classificados APCD. Nessa área são disponibilizados anúncios de empregos, comercio e aluguel de salas comerciais. Ao contrário da maioria dos benefícios, para usufruir do APCD Classificado não é preciso associar-se à APCD. Basta acessar o site ir no menu APCD Classificados e visualizar as oportunidades disponíveis.

Classificados APCD: Vagas de Empregos

No portal da Apcd na área Classificados APCD, voce dentista associado a APCD poderá visualizar diversas vagas disponíveis. Todas as vagas são recentes e direcionadas para o cirurgião-dentista.

Classificados APCD: Aluguel de Sala

A APCD reuniu na sua área de Classificados, ótimas oportunidades para locação de salas comerciais para Dentistas. São diversos anúncios, todos com informações completas sobre o imóvel. Você pode manifestar o interesse pelo próprio site da APCD.

Conheça um pouco da APCD

Criada em 1º de abril de 1911 a APCD tinha como objetivo principal a regulamentação da profissão do Cirurgião-Dentista. Hoje com 105 anos de idade ocupa lugar de destaque no cenário da Odontologia mundial. Possui mais de 40 mil associados e 89 Regionais em todo o Estado de São Paulo.

Desde sua criação em 1º de abril de 1911 a APCD lutou pela regularização da profissão no estado de São Paulo e no Brasil e teve muitas coquistas como:

  • Participação efetiva na criação do Conselho Federal de Odontologia;
  • Escola de Aperfeiçoamento Profissional (EAP);
  • 1º Pronto-Socorro Odontológico gratuito para a população paulistana;
  • Criação do Congresso Paulista de Odontologia

APCD Classificados: Benefícios para o Associado

Planos de Saúde

Em parceria com operadoras de planos de saúde, foi possível desenvolver um convênio médico para Dentistas com valores diferenciados. Melhor relação custo-benefício em assistência médica e exclusivo Posto de Atendimento de reembolso.

APCD Prev

Plano de previdência complementar desenvolvido exclusivamente para atender às necessidades dos Cirurgiões-Dentistas.>

Auxílio Funeral

Para todos os associados em dia com a APCD, no valor total de R$3.400,00 (três mil e quatrocentos reais), com a opção de outros planos com taxas altamente favorecidas.

Auxílio para os profissionais quanto à empregabilidade

Para os associados que empregam funcionários em seus consultórios e precisam de auxílio quanto à burocracia de uma empregabilidade correta.

Bilheteria.com

Agora dentro do Clube de Benefícios, permite ao associado comprar ingressos para diversas atrações: espetáculos, parques e outras possiblidades de diversões.

CIOSP – Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo

O CIOSP é um dos maiores e mais respeitados eventos de Odontologia do mundo e se supera a cada ano em qualidade e recorde de público.

Clube de Benefícios

Canal onde o associado tem acesso a maior e mais completa rede de produtos, serviços e parcerias profissionais.

Eventos científicos e congressos

Os eventos científicos têm como objetivo trazer atualização científica e contribuir sistematicamente para a ampliação do conhecimento.

Seguro de Perda de Renda

O objetivo desse seguro é obter o pagamento de uma indenização ao próprio segurado ou ao seu benefício.

Turismo

Oferecemos aos associados da APCD e seus familiares as melhores ofertas, localizações e condições de hospedagem em Hotéis e muito mais.

Planos de Saúde para Dentistas APCD

Você sabia que você Dentista associado a APCD pode ter um plano de saúde até 40% mais em conta que os planos individuais convencionais? A APCD negocio com as principais operadoras de planos de saúde um plano de saúde coletivo por adesão exclusivo para o Cirurgião-Dentista. Confira abaixo as Operadoras disponíveis:


Faça uma Cotação sem Compromisso


“Esperamos ter a vacina em outubro para milhões de pessoas”, diz Pfizer

Em entrevista exclusiva à Veja Online, Mikael Dolsten, líder científico da Pfizer, fala sobre os planos ambiciosos da empresa para controlar a pandemia de coronavírus

A aprovação de uma vacina eficaz contra o novo coronavírus é certamente o anúncio mais esperado do ano. A boa notícia é que cada dia que passa, estamos mais perto disso acontecer. Em movimento inédito na história da ciência, seis meses após o início da pandemia, 136 opções de imunizantes estão em desenvolvimento. Entre elas, dez já estão na fase de testes clínicos em humanos. Na edição desta semana, VEJA se debruça sobre essas pesquisas, inclusive sobre a inclusão do Brasil na fase mais avançada e mais importante de estudos clínicos sobre imunizantes, que busca comprovar sua eficácia.

Nessa busca, VEJA ouviu líderes e especialistas de empresas e instituições de pesquisa que estão à frente destes esforços avançados. Um destes especialistas é Mikael Dolsten, líder científico e presidente mundial de pesquisa, desenvolvimento e medicina da gigante farmacêutica americana Pfizer. Em estratégia única, ambiciosa e inovadora, a Pfizer já iniciou a fase de testes em humanos de não apenas uma, mas de quatro opções de vacina, na expectativa de escolher a mais segura e eficaz. Todas foram desenvolvidas em parceria com a BioNTech, empresa alemã de biotecnologia, e usa a inovadora técnica de mRNA, ou RNA mensageiro.

A empresa está entre os cinco projetos selecionados pelo programa Operation Warp Speed do governo dos EUA para receber bilhões de dólares em financiamento e apoio federal antes mesmo de haver provas de que as vacinas funcionam. Além da vacina, a Pfizer também está dedicada em encontrar tratamentos eficazes contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, e não poupa esforços nem investimentos nesta empreitada.

Saiba logo no início da manhã as notícias mais importantes sobre a pandemia do coronavirus e seus desdobramentos. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter

A previsão é gastar até 1 bilhões de dólares (cerca de 5 bilhões de reais) ainda este ano para desenvolver e fabricar uma potencial vacina. Mesmo antes de saber se uma de suas opções de vacina irá funcionar, a empresa já começou a preparar a linha de produção. Apenas nas fábricas e na compra de matéria-prima, o investimento foi de 250 milhões de dólares. Além disso, a empresa garantiu que o retorno do investimento não desempenhará um papel em seus esforços contra a Covid-19.

Abaixo você confere a íntegra da entrevista exclusiva realizada por VEJA, por telefone, com Dolsten, que é médico e doutor em imunologia tumoral pela Universidade de Lund, na Suécia. Mikael fala sobre o programa Lighspeed, que conseguiu desenvolver diversas opções de imunizante contra o novo coronavírus em tempo recorde. Ele conta também como a empresa pretende cumprir seu objetivo ambicioso de entregar milhões de doses da vacina, caso ela seja aprovada, em outubro.

Quando a vacina da Pfizer estará disponível? Começamos a trabalhar na vacina no início de março, mas já tínhamos algum planejamento no final de fevereiro e eu estou muito orgulhoso de termos iniciado os estudos clínicos há algumas semanas [os estudos clínicos do imunizante da Pfizer começaram no início de maio, nos EUA]. Esperamos, se tudo ocorrer bem nos estudos clínicos e com as conversas com os órgãos reguladores, ter  vacina já disponível em outubro para milhares de pessoas e gradualmente aumentar a quantidade até chegar a 2021 com centenas de milhões de doses. Então é uma linha de tempo muito rápida. Nós chamamos essa linha de produção de Lightspeed (em tradução livre, Velocidade da Luz).

Como foi possível esse tempo tão curto? Há dois anos nós trabalhamos com uma empresa alemã de biotecnologia, a BioNTech, que está usando essa nova, rápida e flexível tecnologia de vacinas chamada mRNA. Quando os casos de Covid-19 se espalharam pelo mundo, pensamos que essa nova tecnologia seria realmente útil para a ameaça global. Esse foi um passo importante para reduzir o tempo. Temos também uma rede de fabricação tremendamente experiente, com polos e colegas na área de terapias biológicas com instalações em todo o mundo para colocar isso em prática. Evidente que tudo isso só será possível, repito, com bons resultados e apoio regulatório. Mas estou otimista dada a nossa experiência e resultados iniciais que têm sido encorajadores.

Já houve um prazo tão curto assim no desenvolvimento de uma vacina? Nunca vimos algo parecido com o que estamos presenciando nos últimos cinco meses. Tantos cientistas, no mundo todo, trabalhando juntos. Temos hoje cerca de 10 opções mais promissoras de vacinas, 20 diferentes anticorpos monoclonais, provavelmente uns dez antivirais e muitos imunomoduladores. Então estamos falando de um pipeline [produtos que as empresas farmacêuticas ou de biotecnologia têm em processo de desenvolvimento e teste] de 60 projetos mais avançados, e muitos outros menos maduros, em tão pouco tempo.

Como será a distribuição da vacina? Ajustaremos a distribuição às necessidades em tempo real. Lutaremos para distribuir a vacina nas partes do mundo mais afetadas e onde houver mais risco para a sociedade e mais pacientes de risco. Temos uma organização de distribuição em todos os principais continentes e em centenas de países diferentes. Dessa forma podemos rapidamente trabalhar com agências reguladoras e organizações de saúde e elaborar planos de distribuição.

Pode-se dizer, então, que no Brasil, a vacina estará disponível até o início do próximo ano? Sim, provavelmente é uma boa estimativa. O Brasil foi fortemente atingido pela pandemia. Eu sinto muito pela população nesta situação e certamente esperamos que nossa vacina e outras opções terapêuticas possam ser usadas no país.

Alguns especialistas alertaram que esperar uma vacina aprovada em apenas 18 meses é excessivamente otimista. O prazo da Pfizer é ainda mais curto. Como o senhor pretende colocar isso em prática? Creio que muitos especialistas que disseram isso trabalham em universidades ou são consultores que nunca estiveram envolvidos no processo de desenvolvimento de vacinas, como nós na Pfizer e em outras empresas que entregam vacinas para o mundo todo. Como já falei, usamos uma nova tecnologia muito mais rápida que a tecnologia tradicional. Número dois: colocamos em movimento recursos, em uma escala que nunca usamos antes. E é claro que há um objetivo ambicioso incluído. Você sabe, se você voar alto, talvez atinja a meta. Você se estica e consegue alcançá-la. É uma questão de desafiar nossos dogmas e maneiras de fazer e convidar outras pessoas para acompanhá-lo neste programa em velocidade da luz. E até agora, acho que é realmente possível, se os dados que geramos continuarem sendo encorajadores.

Quais pessoas poderão receber a vacina? Começamos os estudos com adultos de 18 a 55 anos e depois passamos para pessoas mais velhas porque sabemos que são os que ficam mais doentes e são mais vulneráveis à Covid-19. Pretendemos ter uma cobertura inicial para adultos de 18 a 85 anos, portanto. Em seguida, procuraremos oportunidades para imunizar crianças e adolescentes.

Uma vacina é de fato mais importante que um remédio nessa pandemia? Não gosto de rankings. Acho que são diferentes propósitos. Uma vacina é importante para poder abrir a sociedade de maneira mais segura. É crucial para que possamos voltar a uma vida normal. Os tratamentos são necessários para os pacientes que já estão doentes e para os quais a vacina é tarde demais. Além disso, sempre haverá pacientes que não foram vacinados ou que não responderam à vacinação. Mas leva tempo para lançar uma vacina para muitos bilhões de pessoas. Então, precisamos de tratamentos para as pessoas que estão morrendo agora. Eu diria que a vacina e os antivirais são os que têm maior chance de reverter e proteger, para que não precisemos de tratamentos em estágio final. Nós mesmos estamos analisando tratamentos como antivirais, imunomoduladores e anticoagulantes que podem ajudar rapidamente esses pacientes. Estamos entre os únicos com essa ampla abordagem, protegendo aqueles que não estão infectados, tratando com antiviral aqueles que estão no início da infecção e tentar normalizar as funções no sistema imunológico daqueles que estão avançando para um quadro grave para reduzir o risco de vida e o prolongamento da estadia no hospital. Mas tudo isso precisa estar alinhado com as medidas de saúde pública como o distanciamento social, controlar cuidadosamente como as pessoas se comportam e garantir que todos estejam cientes de como o vírus se espalha e de agir contra isso. E sempre que alguém estiver infectado, localizar essa pessoa, testar o ambiente à sua volta e isola-la. Então é um conjunto de medidas de saúde pública, vacinas e terapias. Não é um desafio fácil, mas às vezes ganhamos. Esta é a maior pandemia em cem anos. Mas estou convencido de que dezenas de milhares de cientistas em todo o mundo conseguirão encontrar a solução. E tenho muito orgulho de estar entre os pioneiros que trabalham com a Pfizer.

Em que fase estão os testes com remédios? Os testes com antivirais, que atuam diretamente no vírus, provavelmente começarão em agosto. O foco inicial, como eu disse, será tratar aqueles que estão no hospital e em seguida teremos um segundo composto para tratar aqueles que ainda não estão no hospital, mas que têm febre em casa, correm o risco de piorar e precisar de cuidados hospitalares. Mas isso, acho que só em junho de 2021. Serão dois tipos de tratamento. Naqueles que estão no hospital é uma infusão e nos pacientes em casa seria um comprimido. Além disso, planejamos iniciar testes para os doentes mais graves com imunomoduladores e anticoagulantes e assim tentar impedir a progressão da doença.

Fontes:

APCD e demais entidades odontológicas pedem amparo da ANS para prestadores de serviços

A Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD) – junto ao Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP), à Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas (ABCD), e à Associação Brasileira de Odontologia (ABO) -, solicitou à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), por meio de ofício, que interceda em prol da classe junto às operadoras de planos odontológicos. A medida tem como objetivo de proteger a rede de prestadores de serviços de saúde bucal em meio à crise gerada pela pandemia do novo coronavírus.

O texto sugere garantia aos profissionais de saúde bucal, destacando que continuem recebendo seus honorários pelos serviços prestados às operadoras de planos odontológicos. A sugestão é que a ANS interceda ativamente para que as empresas assinem um termo de compromisso.

A solicitação foi enviada após a agência reguladora liberar uma série de concessões, com vistas a recursos, a operadoras de seguros saúde e odontológicos durante a pandemia. Os incentivos preveem contrapartidas, por parte das empresas, para proteger economicamente os prestadores de serviços de saúde integrantes de sua rede assistencial, independentemente de sua qualificação como contratados, referenciados ou credenciados.

Além disso, também foi requerido, conforme ofício enviado:
– A realização do pagamento integral, por parte das operadoras, dos procedimentos já autorizados, independentemente de execução pelos prestadores Cirurgiões-Dentistas, sendo prorrogado o prazo para comprovação da conclusão;

– O custeio ou reembolso, pelas operadoras, dos custos extraordinários não previstos referentes à aquisição do EPI (Equipamento de Proteção Individual) para cumprimento do novo protocolo de segurança;

– A repactuação imediata da tabela inserida nos contratos em razão da alteração das planilhas de custos para execução dos procedimentos, abarcando hora clínica e custo de material;

– A criação imediata de um canal de comunicação entre esta Agência e os entes participantes da Odontologia Suplementar, a ser implementado por meio das tecnologias disponíveis, como por exemplo, criação de e-mail específico, com a possibilidade de realização de reuniões online, para debater e deliberar ações e medidas a serem adotadas no setor, nestas incluídos as presentes solicitações.

As requisições também foram enviadas ao Conselho Federal de Odontologia (CFO) para que a autarquia federal interceda em prol da mobilização favorável à assinatura do termo de compromisso por parte das operadoras.

Confira os ofícios completos (ANS e CFO).

Incentivos às operadoras

Na última semana, a ANS, por meio da sua Diretoria Colegiada, outorgou uma série de incentivos regulatórios a operadoras de planos de saúde e odontológicos que estejam em situação regular junto à agência reguladora. As medidas visam liberar capital para uso em ações de combate à Covid-19.

Em troca dos benefícios, a ANS determinou que as empresas também realizem contrapartidas visando a proteção dos prestadores de serviços de saúde de sua rede assistencial. Entre as compensações, as operadoras deverão se comprometer a pagar regularmente, na forma prevista nos contratos com sua grade prestadora de serviços de saúde, os valores devidos pela realização de procedimentos e/ou serviços que tenham sido realizados entre 4 de março de 2020 e 30 de junho de 2020.

Confira mais informações no site da ANS. 

APCD solicita que profissionais de Odontologia tenham aumento adicional de insalubridade

APCD solicita que profissionais de Odontologia tenham aumento adicional de insalubridade

A APCD, a ABCD, o CROSP e a ABO-SP solicitaram, por meio de ofício enviado à deputada estadual Analice Fernandes, autora do Projeto de Lei 006/2020, a inclusão de Cirurgiões-Dentistas, técnicos e auxiliares em saúde bucal que estejam envolvidos diretamente no atendimento e no tratamento dos pacientes portadores do COVID-19, no rol de profissionais de saúde que terão o aumento de 100% no adicional de insalubridade, conforme prevê o PL.

As entidades destacam que os profissionais de Odontologia que laboram no serviço público também são profissionais da saúde, e também atuam na linha de frente no combate à COVID-19. Conforme decreto do governado de São Paulo, João Dória, não há restrição no atendimento odontológico, que está incluído nos serviços essenciais à população.

Confira aqui o ofício enviado.